Trotinetes e afins

A modatrotinetes da mobilidade verde partilhada pegou. As autoridades das grandes cidades, desejosas de contribuir para a diminuição da poluição, são obrigadas a aderir às inovações que aparecem todos os dias. Porém, todas as coisas boas têm o seu lado mau, que só agora começa a mostrar-se aos responsáveis dos municípios; trotinetes e bicicletas obstruindo a via pública, acidentes aonde não se sabe quem é o culpado, ou se o seguro cobrirá os danos, capacete ou não capacete, etc.

Em Paris estes veículos já são 15.000, e serão 40.000 em breve… a “Mairie”, para estancar a sangria, vai taxar as empresas  (20€/ano/veículo) que prestam este serviço, mas atenção, as empresas que obrigam os clientes a deixar os veículos em estacionamentos próprios, não serão taxadas – acho bem. Números redondos 800.000€/ano (!).

 Em Lisboa os números são bem mais modestos; existem 5.000 “máquinas” mais um número indeterminado de bicicletas elétricas partilhadas. Para evitar o crescimento desordenado dos inconvenientes acima referidos, a Câmara Municipal está a pensar criar lugares de estacionamento só para estes veículos, roubando espaço ao estacionamento automóvel atual.

Tudo leva a crer que se pretende “viciar” os autarcas nesta lógica de locomoção (viajar na cidade em veículos partilhados) para depois introduzir os automóveis elétricos partilhados, com estacionamentos dedicados, equipados com carregador de baterias. Estaciona de borla, mas o carregamento da bateria é pago (!).

Que se cuidem os proprietários de automóveis a gasolina ou diesel, vão ver reduzir-se drasticamente os seus habituais lugares de estacionamento e vão ser impedidos de circular em zonas da cidade cada vez maiores. A bem do Planeta!

Então estarão criadas as condições ideais para o aparecimento de uma extensão do  Big Brother II.

Rota da Seda

rota da seda antes depois

O protecionismo que Trump faz à indústria dos EUA, está a fazer com que a China procure novos países para onde encaminhar suas exportações. Nada mais natural que esta proponha  construir meios de comunicação que dinamizem as relações comerciais com esses países. Nada mais natural que esses países ajudem nesse esforço de construção.

constantino I bizantino

Na realidade, o que a China está a propor é que se monte um esquema semelhante ao que Constantino I ajudou a criar; uma rota de mercadorias, de estradas e mares seguros, contra assaltantes e piratas, que dinamizou o comércio entre o florescente Império Bizantino e a China. A esse esquema chamou-se mais tarde a Rota da Seda.

De facto, por muito que se diga, a Europa Ocidental é hoje o maior produtor de bens e serviços do mundo (com excepto do armamento) , ultrapassando já os EUA e o Japão. Faz sentido montar uma Nova Rota da Seda.

A Alemanha de Merkel apoia. 
A Europa de Oettinger é contra!

A Itália do siciliano Sergio Mattarella  também apoia.

Por cá, nota-se ambiguidade, por causa do “amigo americano”, digo eu… É que  os norte americanos são contra. Porém, o Porto de Sines acabará por falar mais alto, espero.

Os Britânicos vão certamente arrepender-se do Brexit, se ele chegar a ocorrer. É que a tradicional aliança EUA-GB sempre se fez sob o signo da Commonwealth, e essa comunidade de interesses económicos está a ser substituída pela rede de interesses chineses.

Um ouriço dentro das calças

maduro putin

Aviões russos cheios de material diverso e de tropas “conselheiras”   pousam em Caracas , foi na segunda-feira passada. Dos 99 militares desembarcados, um é general!

Ninguém sabe o que lá vão fazer, mas trata-se certamente de “pôr um ouriço dentro das calças dos americanos”; frase que foi utilizada Nikita Khrouchtchev para parodiar a cooperação URSS – Cuba, durante a crise dos mísseis, em 1962.

Belos tempos! tinha eu 12 anos de idade! no noticiário da 13, os idosos da família colavam o ouvido ao altifalante do rádio para ouvir as notícias da Guerra Fria e da Guerra Colonial. Só assim conseguiam suprimir o ruído das crianças a correr e a gritar pela casa… .

“Aqui Ferreira da Costa”…

Trump já acusou a picada do ouriço.

Três juízas e uma aditiva

slot achine

Eu conto esta estória  assim;

Uma senhora, a que vamos chamar por pudor de “A Gerente”, teve uma juventude atribulada, para desconforto de sua família, que com ela vivia. Tudo questões relacionadas com alegada falta de dinheiro para “sobreviver”, dizia ela. Quando, há uns anos, foi condenada por ter falsificado uma assinatura na comarca de Nelas, os pais e a irmã resolveram mudar-se para Almada e ordenaram-lhe que ocupasse o lugar de gerente numa Agência de Viagens fundada em nome dos pais, para lhe darem emprego. Pensavam eles que, com emprego fixo e um bom ordenado, a Gerente mudaria de vida.

Foi sol de pouca dura! Cerca de um ano depois, à entrada do verão, que é a estação do ano em que mais viagens se vendem, a Gerente recebeu o dinheiro de 84 clientes, a quem prometeu proporcionar as viagens e alojamentos acordados, e desapareceu do mapa, deixando os clientes em terra ou em situações ainda piores…

Zangou-se com os pais, que eram donos da loja, e fugiu para o norte de Portugal, para parte incerta.

Mas a polícia descobriu-a e levou-a a tribunal, para responder na ação contra ela intentada pelos burlados, que queriam ser indemnizados.

No tribunal o advogado de defesa disse que a cliente tinha uma adição psicológica que a atraia para jogos de azar, na internet… era doente, coitada…

Ela confirmou.

Depois de muita discussão jurídica, prevaleceu a ideia de que os ilícitos praticados tinham sido causados pela adição e não pela arguida (!), e as 3 (três) juízas que constituíam o coletivo de juízes neste julgamento, foram unânimes em absolve-la. As três juízas! Fez-se justiça! Foi provado que ela, a arguida, nunca quis enganar ninguém…

Este veredicto parece corroborar a polémica decisão dos dois juízes do Norte que retiraram pulseira eletrónica a um agressor que tinha sido condenado em primeira instância por ter dado um murro na esposa que lhe perfurou um tímpano. Estes juízes também consideraram ser uma atenuante o ter sido praticado sob o efeito de uma adição psicológica, a saber, o alcoolismo!

Ter uma adição é mau. Mas, por vezes, dá muito jeito…

Vadios e (de) companhia…

Ainda não passaram 6 meses sobre a publicação da lei que proíbe abater “cães e gatos recolhidos nos canis municipais”

cães e gatos

E eu gostava de saber qual foi o favor que o PAN fez, desta vez, ao partido no poder, para conseguir que fosse aprovada esta lei. Faz lembrar o Queijo Limiano.

É que este governo consegue fazer passar na AR diplomas somando os votos dos seus deputados, os de BE e os do PAN, sem necessidade dos do PCP. Terá sido um caso desses? Gostava de saber, mas não tenho paciência para ir ver.

Trata-se de um autêntico disparate, a avaliar pelas estatísticas disponíveis, em cada ano que passa, só 1/3 encontram quem os adote, dos 60.000 bichos capturados na via pública. Isto é 40.000 bichos todos os anos ingressam nos “hotéis para bichos” que as Câmaras Municipais têm à disposição. Sim, hotéis. Locais aonde os “hóspedes” comem, bebem, lavam-se, têm abrigo seguro durante 24 horas por dia, e se adoecerem têm médico e remédios de borla.

Com a mania de tornar a sociedade portuguesa mais moderna, mais tolerante, mais sexy, esqueceram-se que também há dezenas de milhares de javalis a mais neste país,  que vão à praia, ou que  estragam as culturas aos agricultores, e esqueceram-se de os incluir no diploma… e esqueceram que os cães e gatos capturados pelas câmaras municipais nas ruas NÃO SÃO ANIMAIS ABANDONADOS. Não têm o ship obrigatório que indica tratar-se de animal de companhia, guarda ou caça. E não estão vacinados. São vadios ou selvagens, e transmitem as mesmas doenças que todos os mamíferos quando adoecem, incluindo javalis, claro está. As carraças, por exemplo, que, quando em contacto com o homem provocam doenças graves…

Será que um javali vadio tem menos dignidade que um cão vadio ?

Será o lóbi dos produtos “PET” a usar a força que tem junto dos  2.151.000 lares portugueses ? que consomem 2.151.000×1,2×0,300=774 toneladas de ração POR DIA !!!!

São 5.600.000 (mais de metade da população portuguesa que lida diariamente com um animal dentro de casa ! Se cada uma desse 1€/mês para a causa dos animais vadios e abandonados não necessitavam de andar a namorar o Governo Geringonço. Não necessitavam de, eles também, pedinchar à porta do Orçamento de Estado.

A melhor solução seria criar a Cooperativa Independente dos Canis e Gatis Portugueses financiada pelas pessoas que têm animais de companhia, guarda e caça. Cada bicho obrigava o dono a ser sócio dessa cooperativa e a ter uma licença anual de 365€ para financiar esses canis.

 

 

 

Inferno de ricos, inferno de pobres…

Neste mês de março mais de 1.000 pessoas estiveram na iminência de morrer afogados quando o paquete de luxo em que viajavam, o Viking Sky, ficou à deriva numa tempestade do mar da Noruega. Viver esta experiência deve ter sido um INFERNO !

Neste mês de março um furacão de grande intensidade assolou terras de Moçambique. Centenas de milhares de pessoas estiveram na iminência de morrer afogados, cerca de 500 morreram mesmo! foi o INFERNO  para quem viveu esta experiência…

moçambique

Capacete e condição da mulher

capacete modelo

No país de Merkel, defensores da condição da mulher, querem que seja retirada esta imagem   publicitária    , a convidar ciclistas a usar capacete. Dizem que é sexista porque se vê a pele nua da modelo (20 cm2 de pele!).

O que é importante, julgo eu, é que se obtenha a máxima eficácia na persuasão de usar capacete. Os especialistas dizem que esse hábito salva vidas.

Não creio que a (linda) modelo que está na imagem, Alicija Köhler, consiga motivar as “massas” a usarem capacete se estiver vestida com uma burka… na Alemanha vê-se muito disso…

Paridade e igualdade

A nova lei da paridade   obriga a que haja uma relação 60/40% (ou 40/60%) de homens/mulheres nas listas dos partidos às eleições legislativas. Deu-se mais uma machadada na meritocracia como regra de acesso das pessoas aos cargos políticos.

mulheres

E ainda se deu mais uma machadada no direito constitucional que homens e mulheres têm de aceder livremente às profissões e cargos para que se prepararam, sem descriminações de qualquer espécie (e muito menos discriminação com base no sexo).

Em cada 1000 militantes de base de um dado partido é natural que 2 ou 3 deles mereçam ser indigitados para cabeça de lista pelo seu ciclo eleitoral. Merecem por se terem distinguido em tarefas partidárias de anos anteriores ou por terem conseguido atingir objetivos que os outros 997 militantes não conseguiram.

Se essas 1000 pessoas foram 800 homens e 200 mulheres é natural que não seja indigitada nenhuma mulher… se foram 800 mulheres e 200 homens é natural que sejam indigitadas só mulheres.

Forçar a entrada de mulheres nas listas é apostar na diminuição da qualidade de desempenho dos cidadãos que representam do povo na Assembleia da República, e é passar um atestado de menoridade ao género feminino na sua globalidade. Do tipo: “coitadas, se não fizermos uma lei da paridade para elas, elas nunca chegarão a ter uma representatividade de 40% na Assembleia da República, porque são estupidazinhas…”.

É falso. O que é verdade é que as mulheres em geral sentem-se menos atraídas para exercerem tarefas partidárias que os homens, e isso não significa um atestado de menoridade para ao género feminino. As mulheres que gostam de política e que a ela se dedicam com afinco, chegam tão alto como os homens. Exemplos não faltam.

Em média as mulheres sentem-se mais atraídas para jogar ténis do que para jogar Kickboxing,  isso não tem nada de mal… O que não faz sentido é obrigar os clubes de Kickboxing a terem 40/60% de atletas mulher (para poderem entrar no campeonato nacional, por exemplo).

Argélia

Em dezembro de 1991 houve eleições legislativas na Argélia. Na primeira volta ganharam os islamitas da Frente de Salvação Islâmica. Tudo levava a crer que “aqui tão perto” seria criado mais um estado Islâmico, o que provocou alarme geral em toda a Europa.argélia manif

Dias depois, as eleições foram canceladas pelo Governo Argelino, e os militares tomaram o poder, comandados pelo General Liamine Zéroual, o novo presidente da república. A caça-às-Bruxas que se seguiu fez 80.000 mortos. Vários grupos rebeldes lançam guerra de guerrilha aos militares no poder.

Lembro-me perfeitamente da surpresa que tive quando vi noticiado o resultado das eleições e depois o cancelamento… e lembro-me da indignação que senti quando me apercebi que todos os governos, jornais, televisões dos países democráticos europeus estavam assobiando para o lado, ignorando o cancelamento de eleições ganhas de forma limpa por um partido argelino, legalmente constituído….

Até que, em 1999, houve de novo eleições para a presidência da república. Ganhou Abdelaziz Bouteflika, um civil que amnistiou muitos rebeldes, ganhando a popularidade que lhe valeu reeleições sucessivas até hoje (primavera de 2019).

Hoje, aos 85 anos, internado num hospital suíço a recuperar de uma cirurgia, mesmo assim, Bouteflika concorre de novo às eleições 2019 para presidência da república, mas os argelinos estão fartos dele…

Enormes manifestações enchem as ruas de Argel, exigindo eleições livres, com palavras de ordem contra a Frente Nacional de Libertação, ainda no poder.

Argélia

Tudo leva a crer que a Europa Unida terá em breve, a sul, muitas Turquias, com cidadãos ocidentalizados nas grandes cidades e muçulmanos convictos na província…