2 trafulhas e 1 empresário…

berardo

O Trafulha 1, que é membro da administração do banco B1, quer ser CEO desse banco (sabe-se lá para quê!). É que nas assembleias gerais em que se designam os CEOs, costuma ficar em segundo lugar na votação, por uma diferença de 5% do capital representado.

Vai falar com um Empresário famoso e promete-lhe 50 milhões de lucro num negócio que consiste em aceitar ser acionista de 5% de capital, isto é, tem que comprar 5% das ações do banco B1. Depois tem que votar a favor do Trafulha 1, na votação para CEO. É só isto!

O Empresário responde-lhe que acha a proposta agradável, mas que não dispõe dos 500 milhões necessários à compra dos 5% referidos.

“Não faz mal”, diz-lhe o Trafulha 1, eu tenho um amigo, o Trafulha 2, que é CEO do banco B2 e que lhe empresta esse dinheiro. Já falei com ele.

Então vamos a isso.

O Empresário vai ao banco B2 e contrai um empréstimo de 550 milhões dando como garantia as ações do banco B1, que lhe custaram 500 milhões (a diferença é o lucro atrás referido). Quem autoriza o empréstimo é o Trafulha 2.

É assim que o Trafulha 1 chega a CEO do banco B1. É assim que o Empresário “ganha” 50 milhões. Tudo se passou há 15 anos.

Porém os acionistas de B1 que se sentiram prejudicados com a operação, vão para os jornais denunciar a trafulhice. Os outros acionistas (os que leem jornais) perdem confiança na idoneidade da gestão de B1 e começam a vender na Bolsa as ações que possuem.

O preço unitário das ações baixa, ninguém quer ter ações de um banco gerido por trafulhas, de tal maneira que, há 10 anos (5 anos depois da trafulhice), as ações penhoradas só valiam 450 milhões. Se o banco B2 executasse a hipoteca nessa data, ficava com 100 milhões de crédito sem garantias. Mas mete a cabeça na areia e diz que vai esperar que as ações subam para executar a hipoteca. Passados 10 anos a cotação das ações ainda é menor. Isto é, hoje, o crédito mal parado já chega aos 200 milhões…

É necessário encontrar culpados. O melhor é fazermos uma audição parlamentar…

Na minha opinião o Trafulha 1, o Trafulha 2 e o Empresário deviam ir todos prá cadeia. O primeiro era condenado a 5 anos de cadeia, por “participação dolosa em negócio e por ter comprado votos na Assembleia Geral”, o segundo a 10 anos, por “autorizar empréstimo vultoso de alto risco e sem cobertura de 50 milhões, gestão dolosa” e o terceiro era condenado a 5 anos com pena suspensa e a devolver ao banco B2 os 50 milhões que “ganhou”, por ser cúmplice de uma compra de votos.

 

 

Um pensamento em “2 trafulhas e 1 empresário…”

  1. Manel, Qual é o papel do Berardo nesta história?

    toufeito escreveu em qui, 16/05/2019 às 11:20 :

    > Manuel Vicente Galvão posted: ” O Trafulha 1, que é membro da > administração do banco B1, quer ser CEO desse banco (sabe-se lá para quê!). > É que nas assembleias gerais em que se designam os CEOs, costuma ficar em > segundo lugar na votação, por uma diferença de 5% do capital representado” >

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.