Eles é que mandaram…

Vitor Constâncio

É insensato pensar que uma operação com a envergadura que teve o caso Berardo não tenha sido autorizada por Bruxelas. De resto, todas as operações que mexem com bancos e que necessitam de ir ao beija-mão do Banco de Portugal, são operações que só têm continuidade com a autorização do Eurogrupo. Ou não fossem os bancos “centrais” dos países do euro simples sucursais do Banco Central Europeu…

Não me parece provável que uma operação que consistiu em afastar a Opus Dei das decisões do maior banco privado português tenha sido concebida e executada só com a “prata da casa”…

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.