DE COSTAS VOLTADAS

Num passado recente, um país da NATO atacou instalações petrolíferas de outro país da NATO. Foi durante a guerra da Síria. Coisa nunca antes vista. O agressor foi a Turquia, o alvo atingido foram instalações petrolíferas da TOTAL, petrolífera francesa.

Desde então os incidentes sucedem-se:

A França questionou:

  • a legitimidade da pesquisa de gás natural que a Turquia está fazendo no Mediterrâneo Oriental, junto à fronteira da UE.
  • a legitimidade da intervenção armada da Turquia no Líbano.
  • o envio pela Turquia de mercenários da guerra da Síria para Nagorno-Karabakh, em apoio às pretensões do Azerbaijão, contra a Arménia (país de maioria cristã).
  • o silêncio da Turquia quanto ao assassinato em França de um professor, Samuel Paty, por um jovem muçulmano, com requintes de malvadez. Nem sequer um voto de pesar foi recebido no Eliseu.
  • a forma como Erdogan se referiu em público ao presidente francês. Chamou-o de maluco, mando-o ir ao médico…

Desde que o Reino Unido saiu da União Europeia que a França parece querer ocupar o seu lugar no que diz respeito ao poder das armas. No dia seguinte à explosão de grandes dimensões que ocorreu no porto do Beirute. Macron apresentou-se no local, que visitou com altos funcionários franceses e membros do governo libanês. Na forma como falou para as televisões parecia “o dono daquilo tudo”.

Desde que faliram as iniciativas de ocidentalização que ficaram conhecidas por Primaveras Árabes, Recep Tayyip Erdoğan, Presidente da República da Turquia, vende para consumo interno o sonho de restaurar o Império Otomano, com o esplendor de outrora. Isto é:”Islam First”.

São muitos os interesses que França tem para defender; Síria, Líbano, Mali, etc, tudo assuntos a tratar com uma ameaça de fundo comum; o poder islâmico.

https://www.noticiasaominuto.com/mundo/1612491/declaracoes-de-erdogan-sobre-macron-sao-inaceitaveis-considera-borrell

DECAPITADO !!!

decapitadoNa França vivem 7 milhões de muçulmanos (mais de 10% da população total). Há seis universidades que ministram cursos de teologia islâmica. São queimados na via pública mais de 80 automóveis por dia, na maioria  dos casos incendiados por intolerância religiosa de extremistas islâmicos.  Só no ano de 2015 mais de  40 imãs (sacerdotes que pregam nas mesquitas) foram deportados por fazerem propaganda a favor do terrorismo islâmico em mesquitas francesas. Pelo menos dois cidadãos franceses foram decapitados em atos de terrorismo por intolerância religiosa, praticada por muçulmanos radicais. Um jornal humorista foi atacado à bala por divulgar imagens satíricas de Maomé, tendo sido assassinadas 14 pessoas e 7 ficaram em estado grave.

É num contexto destes que um professor de História, Samuel Paty, que lecionava num liceu dos arredores de Paris, resolveu exibir nas aulas imagens satíricas de Maomé, como forma de mostrar como se defende a liberdade de expressão em França.

Alguns dos seus alunos eram muçulmanos (talvez 10%).

A fera foi provocada! e o resultado foi dramático, o professor foi assassinado e decapitado por um jovem muçulmano extremista com 18 anos de idade…

Não havia necessidade…

Continue a ler DECAPITADO !!!

A REACÇÃO CONTRATACA !

Copiado do Blesfémias.org

Desta vez criticam as recentes medidas do executivo que impõem, entre outras coisas, o uso de máscara na rua.

Metáfora imperfeita;
Não se vê nenhum borrego com capacete de mota, nenhum com cinto de segurança de automóvel, nenhum com colete de salvação ou boia, para representarem os borregos que têm respetivamente motocicleta, automóvel, barco.


São três obrigações impostas por lei, que não deveriam existir se fossemos um país livre…

Isto sem falar na carneirada que anda nas obras com capacetes brancos que não servem para nada e com botas de biqueira de aço tão incómodas de usar…

A utilização de EPIs devia ser abolida, ficado a sua utilização ao critério de cada um. Porém, se um dia isso vier a acontecer, o SMS deve recusar tratar as pessoas que não se protegem, e deve mandá-los para os hospitais privados. Aqueles que representam menos Estado na saúde…