Arquivo da categoria: Culinária

De costas viradas para o céu

corona virus

Os chineses comem todos os bichos que têm as costas viradas pró céu. Cães, gatos, cobras, morcegos, etc..

Animais que não são reproduzidos e criados com normas de segurança próprias da indústria alimentar, isto é, vacinas, normas de higiene, alimentação certificada, etc.
Os vírus que esses animais possuem andam à solta nos mercados chineses… E, para cúmulo, até se transportam confortavelmente de avião, no corpo de turistas ou de pessoas repatriadas que procuram salvação nos países de origem…

Mais uma consequência da globalização…

Há uns anos atrás esses vírus também se deslocavam grandes distâncias, mas a bordo de pássaros de arribação. Eram viagens mais lentas para ocidente, que davam tempo aos laboratórios a encontrar vacinas que os combatessem. Quando cá chegavam só uma pequena percentagem dos ocidentais não vacinados era infetada.

Nem tão cedo irei comprar fruta naquela loja da chinesa simpática, não vá ela ter um primo infetado acabado de chegar da china, para a ajudar na loja…

Todo o cuidado é pouco.

Coca-Cola fake-news…

obesidade

Para início de conversa digo-vos que cada garrafa de 33 cl de cola-cola contém pelo menos 35g de açúcar! Isto é, contém o equivalente a 8 (oito) pacotinhos de açúcar daqueles que se põem na “bica”.

Nos últimos 20 anos os artigos em revistas, jornais, e programas de televisão, que abordam o tema de alimentação relacionada com a obesidade, são unânimes a aconselhar as pessoas diminuir o consumo de açúcar, se não querem engordar.

Porém, recentemente, apareceram em França uns estudos que contrariam essa ideia. Dizem praticamente que a obesidade não tem nada a ver com a ingestão de açúcar, mas sim com a falta de exercício…

O jornal “Le Monde” desconfiou de “marosca” e investigou. A conclusão mais bombástica que se pode tirar do relatório dessa investigação é que a Multinacional Coca-Cola financiou estudos de conhecidos médicos franceses especialistas nas áreas de nutrição e obesidade, pagando-lhe somas que parecem ser astronómicas para que eles assinassem relatórios que concluíssem não estar a ingestão de açúcar assim tão relacionada com a obesidade.

Custaram esses estudos €8.000.000,00, nos últimos 8 anos.

Falta saber quanto recebeu cada um desses conhecidos médicos especialistas.

A série televisiva “Jogos de Poder”, no Canal 2, explica bem como isto funciona.

As fake-news podem causar danos consideráveis numa sociedade…

Este país é para velhos…

sobremesa ingredientes

Dizem os médicos que, a partir de uma certa idade madura, as pessoas começam a ter intolerância à lactose. Por isso os fornecedores de produtos lácteos lançaram produtos que não contêm esse componente do leite de vaca.

A julgar pelo aumento destes produtos nas prateleiras dos supermercados, a aceitação tem sido crescente.

A flatulência é o principal sintoma dessa intolerância…

Hoje vou ensinar-vos a fazer uma sobremesa deliciosa, isenta de açúcar e isenta de lactose.

1- Num púcaro pequeno (não está na imagem) aquece-se 1,2 dl de água até ferver. Apaga-se o lume.

2- Dissolve-se na água quente um pacote de gelatina Royal, de morango. Deixa-se arrefecer até à temperatura ambiente, sem solidificar.

3- Abre-se o pacote de leite sem lactose e despejam-se 1,2 dl do leite que ele contém num copo, para compensar a água que se vai usar na gelatina, e deita-se o leite restante num fervedor (em inox o da figura). Acrescenta-se uma colher de sopa de leite em pó e mistura-se até ficar bem dissolvido.

4- Numa tigela com cerca de 1/2 litro de capacidade (a da figura é de vidro) bate-se um iogurte natural sem lactose com as varas de forma a ficar homogéneo.

5- Acrescenta-se a pouco e pouco o leite do fervedor ao iogurte batido, mexendo sempre com as varas. Quando a tigela estiver cheia, verter a tigela no fervedor e continuar a mexer a mistura de forma a que o leite fique bem misturado com o iogurte.

6- Acrescentar a gelatina ao conteúdo do fervedor, mexendo sempre, lentamente, até obter uma mistura bem homogénea.

7- Verter o conteúdo do fervedor nos boiões de vidro que já estão na iogurteira destapados.

8- Ligar à corrente a iogurteira durante 10 horas, a qual e deve estar assente num tampo de mesa de madeira ou numa superfície de cortiça se o tampo for de pedra. Ao fim de 3 horas a temperatura deve estabilizar entre 35 e 45 graus centígrados.

9- Retirar os boiões da iogurteira, tapá-los, identificar as tampas com o número do dia em que estamos, deixar arrefecer até à temperatura ambiente, e colocá-los no frigorífico.

10- Deve ser consumido com, pelo menos, 2 dias de frigorífico. A validade deste produto é de 3 semanas após produção.

Se tiverem dores de barriga não foi de terem comido esta sobremesa!